TikTok confirma que dados de usuários podem ser acessados na China

Atualização da política de privacidade deixa explícito que funcionários chineses podem acessar contas

Nos EUA, a preocupação com vazamento de dados ao governo chinês é crescente | Foto: Reprodução/Flickr

Em uma atualização da política de privacidade feita na terça-feira 2, o TikTok publicou informações explícitas de que os dados pessoais do aplicativo podem ser visualizados por funcionários da empresa na China. A atualização, feita nas contas operadas a partir da Europa, está alinhada com o que os executivos do aplicativo tinham publicamente.

O anúncio se aplica a usuários do Espaço Econômico Europeu, Reino Unido e Suíça. Segundo o aplicativo, essas informações não dizem respeito aos Estados Unidos, embora o TikTok tenha dito que armazena dados de usuários europeus nos EUA e em Cingapura.

Além da China, os dados do TikTok podem ser tratados por funcionários em países como Brasil, Canadá, Israel, Japão, Malásia, Filipinas, Cingapura, Coreia do Sul e Estados Unidos, informou a empresa.

O acesso a dados de usuários europeus, acrescentou a plataforma, é permitido para “certos funcionários dentro de nosso grupo corporativo” e é “baseado em uma necessidade demonstrada de fazer seu trabalho”.

O TikTok também disse que o acesso desses funcionários é regido por “controles de segurança robustos” e ocorre “por meio de métodos reconhecidos pelo GDPR”, a lei de privacidade da União Europeia.

Nos EUA, críticas são crescentes

Nos EUA, a preocupação é crescente quanto à possibilidade real de que o governo chinês possa pressionar o TikTok ou sua controladora, ByteDance, a entregar os dados pessoais dos usuários sob as leis de segurança nacional do país.

Em meio a esses temores, o TikTok passou meses negociando com o governo norte-americano um possível acordo de segurança nacional que permitiria continuar operando nos EUA. O aplicativo também migrou dados de usuários dos EUA de servidores proprietários nos EUA e em Cingapura para servidores baseados em nuvem hospedados pela Oracle.

Mas isso não diminuiu as críticas de que os dados do usuário ainda podem ser acessados ​​por indivíduos na China sujeitos às leis de segurança desse país, uma prática que o TikTok não se compromete a interromper e enfatizou que continuará com a atualização da política europeia anunciada na terça-feira.

Facebook
Twitter
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira as notícias de hoje, fatos da política, economia e internacional, no maior Portal de Notícias do Brasil e do Mundo.

Confira as notícias de hoje, fatos da política, economia e internacional, no maior Portal de Notícias do Brasil e do Mundo.