Facebook vai proibir publicações pagas que questionem legitimidade da eleição

Impulsionamento de candidatos só acontece quando os partidos políticos passam por uma comprovação de identidade

De acordo com a Meta, dona do Facebook, não existe uma política para moderação de conteúdo sobre o pleito

Facebook anunciou, nesta terça-feira, 16, que vai proibir publicações pagas que questionem a legitimidade das eleições de 2022 em suas redes sociais. De acordo com a Meta, dona da plataforma, não existe uma política para moderação de conteúdo sobre o pleito. No entanto, a medida será tomada em publicações que incitem a supressão de votos, como posts com “desinformação sobre datas, lugares, horários e métodos de votação” ou mentiras “sobre quem pode votar, quais são os requisitos eleitorais, se um voto é contabilizado e quais informações materiais devem ser apresentados para votar”. Atualmente, tanto o Facebook quanto o Instagram permitem anúncios políticos. Contudo, o impulsionamento de candidatos só acontece quando os partidos políticos passam por um processo de comprovação de identidade e de endereço residencial no país.

Facebook
Twitter
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira as notícias de hoje, fatos da política, economia e internacional, no maior Portal de Notícias do Brasil e do Mundo.

Confira as notícias de hoje, fatos da política, economia e internacional, no maior Portal de Notícias do Brasil e do Mundo.