Detidos ativistas espanhóis que atacaram quadros de Goya no museu do Prado

Extremistas foram detidos pela polícia

Extremistas atacam quadros em museu de Madri – 05/11/2022 | Foto: Reprodução

O Museu do Prado confirmou que, após uma primeira inspeção, as obras não foram danificadas, mas as suas molduras sim, em particular a de “A Maja Nua”.

Dois ambientalistas do movimento de esquerda Extinction Rebellion colaram as próprias mãos nas molduras de dois quadros do pintor espanhol Francisco de Goya que estão no Museu do Prador, em Madri. O ato ocorreu no sábado 5.

Conforme o ajuntamento, o ataque às obras de arte é um protesto contra as “mudanças climáticas” e a suposta falta de ação do governo para freá-la.

Os ambientalistas, que não danificaram as pinturas, mas marcaram “+1,5°C” na parede entre as duas obras, em referência à meta de aquecimento global estabelecida pela comunidade internacional, foram presos.

As duas pinturas em questão são A Maja Nua e A Maja Vestida. Esta ação é “um sinal de protesto” contra “o aumento da temperatura global, que irá provocar um clima instável com graves consequências em todo o planeta”, informou o grupo, em um comunicado divulgado à imprensa.

No início deste mês, dois ativistas do grupo ambientalista Last Generation jogaram purê de batatas no vidro que protegia a pintura de Claude Monet Les Meules, no Museu Barberini, em Potsdam, Alemanha. Ativistas ambientais também se colaram no vidro que protege Moça com Brinco de Pérola, de Johannes Vermeer, em um museu na Holanda, e outros jogaram sopa no que protege os Girassóis, de Vincent van Gogh, na National Gallery, em Londres.

Facebook
Twitter
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira as notícias de hoje, fatos da política, economia e internacional, no maior Portal de Notícias do Brasil e do Mundo.

Confira as notícias de hoje, fatos da política, economia e internacional, no maior Portal de Notícias do Brasil e do Mundo.