China cancela discurso do líder da UE na abertura de feira comercial

Presidente do Conselho Europeu pediu mais empenho chinês para o fim da invasão na Ucrânia

Presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, pediria empenho da China para o fim da guerra na Ucrânia | Foto: Reprodução/Twitter

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, foi censurado na China. Um discurso em vídeo que seria exibido na abertura de uma grande feira internacional em Xangai, a China International Import Expo, foi cancelado, segundo informaram à Agência Reuters diplomatas que não tiveram os nomes revelados.

Segundo a agência, Michel criticaria, no discurso, a invasão da Ucrânia pela Rússia e falaria a favor da redução da dependência econômica da China pela União Europeia.

Michel, com seu discurso gravado em vídeo, seria um dos líderes a falarem no evento. Mas, de acordo com o porta-voz do presidente do Conselho Europeu, a gravação acabou não sendo exibida. “Conforme solicitado pelas autoridades chinesas, nós de fato fornecemos uma mensagem pré-gravada que acabou não sendo mostrada. Nós abordamos isso através dos canais diplomáticos normais.”

O discurso do presidente do Conselho Europeu foi definido para ser fortemente crítico da “guerra ilegal da Rússia contra a Ucrânia” e dizer que a Europa está aprendendo “lições importantes” com isso, de acordo com trechos do discurso fornecidos por diplomatas da UE.

A Europa tem sido excessivamente dependente da Rússia para combustíveis fósseis, levando a um desequilíbrio comercial, diria Michel. Ele também afirmaria, segundo a agência, que a Europa quer “equilíbrio em nossas relações comerciais, para evitar dependências excessivas” e que isso também vale para as relações comerciais com a China.

O presidente do Conselho Europeu também deveria pedir que a China fizesse mais para acabar com o derramamento de sangue na Ucrânia. O governo chinês sempre se recusou a criticar a agressão da Rússia.

“A China tem um papel em usar sua influência para parar a guerra brutal da Rússia por meio de sua chamada parceria “sem limites” com a Rússia”, diria Michel, referindo-se a um pacto anunciado por Xi e Putin, em Pequim, antes do começo da guerra. “Você, China, pode ajudar a acabar com isso”, constava do discurso não exibido, segundo a Reuters.

Espera-se que Xi e Michel participem e se encontrem na cúpula de chefes de Estado do Grupo dos 20 (G20) em Bali na próxima terça e quarta-feira.

Discursaram no evento, além de Xi Jinping, o diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional, o diretor-geral da Organização Mundial do Comércio e os presidentes de Indonésia, Sri Lanka e Bielorrússia, segundo o site oficial da exposição.

Os organizadores da exposição — o Ministério do Comércio da China e o governo da cidade de Xangai — não falaram sobre o assunto.

Facebook
Twitter
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira as notícias de hoje, fatos da política, economia e internacional, no maior Portal de Notícias do Brasil e do Mundo.

Confira as notícias de hoje, fatos da política, economia e internacional, no maior Portal de Notícias do Brasil e do Mundo.