Apesar da proibição, uso do cigarro eletrônico cresce entre jovens

De acordo com dados do IBGE, dois em cada dez brasileiros de 16 a 17 anos já usaram o dispositivo proibido pela Anvisa desde 2009

Cigarros eletrônicos são proibidos pela Anvisa desde 2009

Um estudo apresentado durante o Congresso Internacional da Sociedade Respiratória Europeia, na Espanha, trouxe uma conclusão preocupante. Segundo o trabalho do Instituto para Pesquisa Livre de Tabaco, da Irlanda, os adolescentes com pais fumantes tem 55% mais chances de experimentar cigarros eletrônicos. No Brasil, de acordo com dados do IBGE, dois em cada dez jovens de 16 a 17 anos já usaram o dispositivo proibido pela Anvisa desde 2009. Para o presidente da Associação Média Brasileira, César Fernandes, a promessa de que o cigarro eletrônico ajudaria a combater o vício não passa de um mito: “Esses dispositivos eletrônicos de fumar vieram com essa áurea de modernidade e de minimizar riscos. O que se sabe é que não minimiza em hipótese alguma esses riscos, ele libera nicotina junto com outras substâncias tóxicas, e tem potencialmente todos os riscos que o cigarro convencional tem”. Na semana passada, o Ministério da Justiça determinou que 32 empresas em todo o país suspendam a venda de cigarros eletrônicos.

Facebook
Twitter
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira as notícias de hoje, fatos da política, economia e internacional, no maior Portal de Notícias do Brasil e do Mundo.

Confira as notícias de hoje, fatos da política, economia e internacional, no maior Portal de Notícias do Brasil e do Mundo.